Lágrimas

  Lágrimas esquecidas em cima do sofá.   Lágrimas que o vento carregou quando ela chorou na sacada.   Lágrimas que a fizeram mais forte.   Hoje cedo ela toma café olhando a chuva fina e fria que cai lá fora.   Hoje sem lágrimas.   Hoje só dor.   Decisões que pararam seu coração.   Hoje ela só quer paz. Florianópolis, 21 …

Continue lendo Lágrimas

Anúncios

Tempos de Agora

  Os mesmos passos todos os dias.   Os pés só fazem aquilo que é mais fácil.   Para todas as direções.   A mente sabe o que acontece. Mas há uma luta constante entre o sobreviver e o crer que tudo que existe é uma ilusão.   Os tempos são outros e as facilidades de controle são perpétuas.   Controlados …

Continue lendo Tempos de Agora

Sobre Você – 9ª Parte – Parte Final

  O desmoronamento de todo o alicerce aconteceu.   Ruínas!   Previ tarde de mais. Somente um dia antes.   Tudo tão rápido. Tão extremo. Tão intenso.   Quando você vai entender que tudo não passa de meras percepções sobre o Ser do momento? Esse Ser que muda, que combate a sí mesmo e que pede clemência por estar na …

Continue lendo Sobre Você – 9ª Parte – Parte Final

Sobre Você – 8ª Parte

  Que tipo pedir? Que tipo receber? Que tipo conceder?   Seu olhar. Seu mistério. Sua raiva.   Posso ser mil tipos, mil pedaços. Mas você não muda.   Sempre a mesma.   Não, não estou apaixonado por você. Estou curioso.   Sempre estive na verdade.   Curioso para saber o que passa nessa sua mente, que aos poucos vai se perdendo …

Continue lendo Sobre Você – 8ª Parte

Tépido

  Paixão que amargou minha alma, tanto quanto o café robusta frio do boteco da esquina.   Nem a 14ª sonata de Beethoven consegue tocar meu coração.   Estou tépido.   Alma frívola. Espírito necrófilo.   Junte meus cacos. Tente formar um humano.   Robotizei minha rotina e com isso meu pensamento criativo parou.   Estagnei!   Depressão?   Quem me dera!   Robotizei qualquer …

Continue lendo Tépido

Os Deixados Para Trás

  A estranheza do sentimento faz-me pensar um pouco mais além.   Ir ao topo do prédio mais alto da cidade e jogar de lá minha alma, enquanto meu espírito desce caminhando lentamente pelas escadas.   O que fazer se minha mente programática não me permite fugir das regras desse jogo simples e cruel que criamos?   Quem diria? …

Continue lendo Os Deixados Para Trás